terça-feira, 3 de novembro de 2015

Lenda de música amaldiçoada

Quem da Geração LP (vinil), nunca tocou um disco ao contrário só para ouvir a "mensagem do demônio" oculta, levanta a mão. Algo muito comum, especialmente durante as décadas de 1970 e 1980, com a popularização dos filmes de terror com roteiro envolvendo demônios e/ou o próprio diabo. Logo todo o artista ou grupo que fazia um sucesso relâmpago, ganhava a fama de fazer pacto com o diabo ou coisa do tipo.

Reza a lenda, que uma das músicas mais conhecidas com tal fama, provavelmente é a "Hotel California", do Álbum dos roqueiros da banda Eagles.


"Hotel Califórnia" é o nome de uma das músicas do quinto álbum da banda Eagles, lançado nos anos de 1970, que vendeu aproximadamente 16 milhões de cópias ao redor do mundo e a crítica considerou o álbum dos roqueiros um dos melhores de todos os tempos.

A música tem letra de Don Felder, Don Henley e Glenn Frey, a qual conta uma história. Na "história da música", um cansado viajante fica preso em um luxuoso hotel, um universo de sonho e pesadelo vai sendo descrito a cada melodia.

Letra misteriosa e grandes vendas, só podia gerar uma coisa, gente especulando que a música era amaldiçoada. Teorias diversas surgiram sobre o real sentido da letra e como era costumeira na época muitos "viam o diabo na letra". Outros acreditam que a inspiração para o "Hotel Califórnia" é um hospital de psiquiatria da região de Los Angeles e Santa Bárbara, chamado Camarillo State Hospital, que funcionou entre as décadas de 1960 e 1990, refugio de artistas com algum problema "mental", usado pela maioria que buscava desintoxicação do álcool e/ou drogas.

O lugar conta com um edifício com uma torre, construído em 1930, da antiga missão, o que deu muito crédito a esta teoria, já que a música cita a frase "eu ouvi o sino da missão".

Na capa interior do álbum original, um outro mistério, entre o grupo fotografado na pousada que serviu de pano de fundo para a foto, haviam "figura sombria" na varanda que diversas pessoas acabaram associando ao fundador da de uma Igreja Satânica, fundada em 1966, Anton LaVey.

Claro que muitos falam que integrantes do Eagles eram satanistas e/ou "discípulos de LaVey" e até dizem que há uma imagem do "fantasma" dele na capa do álbum, acreditando que seria um homem a quem LaVey teria assassinado durante um ritual. Resumindo, a música teria sido feita para homenagear o local onde Lavey teria escrito a tal Bíblia Satânica.

Um dos autores da letra, Don Henley, em declaração desmentiu várias das teorias, afirmando que a música seria alegoria sobre o hedonismo e relata o lado sombrio do sonho americano e sobre os excessos na América. Resumindo, uma crítica forte a sociedade e, especialmente, ao mundo da música com a corrupção das estrelas do rock pela decadente indústria fonográfica (da época), afirmando que Los Angeles seria o próprio Hotel Califórnia, onde o artista entra com as próprias pernas e depois descobre que não pode mais sair.

(CLICAR PARA AMPLIAR.)

Leia+: LENDAS SOBRENATURAIS

Leia também: DICAS SOBRENATURAIS

Fique ligado em outras das minhas dicas de cinema, TV, literatura, análise críticas e matérias especiais no Blog da Digital Rio, leia+: LUCARD


Nenhum comentário:

Postar um comentário