quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Vilões Fantásticos - Eles deveriam ser só os vilões da história

Quando nos deparamos com uma boa história fantástica (seja na literatura, quadrinhos, cinema...), pode ter certeza que o vilão da história é dos bons. Porque sem um vilão interessante, heroína e/ou herói não teriam muita coisa para fazer. Seja um vilão oculto, revelado no último minuto, ou aquele que sempre perturba a história inteira e ainda consegue arrumar uma forma de voltar depois, sempre adoraremos odiá-lo.

No entanto, há alguns vilões que no decorrer das histórias, conseguem a façanha de fazer muito mais que infernizar a vida dos heróis. Eles seduzem a todos e por fim ganham admiradores. Entre alguns dos exemplos de "bons" vilões, amados e idolatrados, na minha lista pessoal, há o Darth Vader (Filmes 'Star Wars') e a Mulher-Gato (Quadrinhos 'Batman'). Já na literatura a minha lista, além de enorme, também é um tanto controversa, pois alguns começam as histórias como um vilão típico e no decorrer das aventuras, alcançam similaridade equivalente aos anti-heróis. (Isso acontece tanto com o Darth Vader, como com a Mulher-Gato.)

Mulher-Gato (Batman)

De todos os vilões nos livros, os meus favoritos sempre são da literatura fantástica. Creio que o vilão fantástico é bem mais interessante, pois não há limites em sua criação, os autores podem inventar, ousar e recriá-lo ao seu bel prazer. Por isso, algumas vezes o vilão deixa de ser apenas o inimigo e passa também a ser o antagonista da história.

O primeirão da minha lista de vilões fantásticos não podia ser outro, é o Conde Drácula ('Drácula' de Bram Stoker). No entanto, Drácula é um caso a parte, pois foi criado vilão por seu autor e moldado pelos fãs e admiradores no decorrer dos quase 115 anos de existência; já que Bram Stoker morreu antes de presenciar o sucesso de sua criação ao alcançar o cinema, que imortalizou seu conde vampiro. Porém assim como Drácula, outros vilões da literatura fantástica ganharam o amor incondicional dos fãs, que se iguala ou até é maior que por seus heróis.

Na minha lista, eu tenho três muito especiais, Lestat ('Crônicas Vampirescas' de Anne Rice), Lucila ('Relações de Sangue' e 'Amores Perigosos' de Martha Argel) e Zack ('A Caçadora' de Vivianne Fair). Os três são vilões, que iniciam a história ao ver de seus heróis, como a pior coisa que cruzou o caminho deles. No entanto, seduzem a todos a cada nova página ao ponto que tudo é perdoado, pois eles são adoravelmente malvados.

CLICAR NA TIRINHA PARA AMPLIAR

Eles deviam ser os vilões, pelo menos é o que parece no início das narrações. A visão de Louis quanto a Lestat, de Clara quanto a Lucila e também de Jessi quanto a Zack, os definem como a causa de seus problemas e a fonte do mal que os assolam. Tudo se encaixa, aparentemente, mas algo neles fazem os leitores pensarem se eles seriam mesmo os vilões da história. Porque mesmo que causem grandes problemas aos heróis, muitas vezes os ajudam na hora que eles mais precisam. Conseguem ser amigos e parceiros, um tanto possessivos, pois se acham no direito de que só eles podem atormentar a vida dos heróis e por isso, são capazes de acabar com qualquer um que se entromenta entre eles.

Por isso não importa se eles são vilões ou não, são adoráveis e os fãs só se importam com a próxima aventura e que continuem a atormentar a vida dos heróis, porque adoram quando o fazem.

2 comentários:

  1. Nossa, adorei o post (como sempre) e sabe que você tem razão?? Tem horas que eu realmente torço para o vilão se emendar ou até fico com dó dele e raiva do mocinho..rsrs! Adorei!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sempre fico na torcida pelos vampiros... Ou seja, os caçadores nunca ganham minha atenção. hehehe Se bem que, como diria o Zack, a Jessi é tão incompetente que chega a ser adorável... Dela eu gosto. :)

      Excluir