quarta-feira, 2 de maio de 2012

'Os Vingadores' de Joss Whedon

Marvel que me desculpe, mas perdeu... 'Os Vingadores' agora são do Joss Whedon!

Brincadeira a parte, mesmo que a Digital Rio já tenha sua crítica de 'Os Vingadores', feita por Louise Duarte, que teve o privilégio de estar na Cabine do filme e ser das primeiras, no mundo, a conferir o espetáculo cinematográfico do ano; eu preciso falar sobre a obra prima que o criador de 'Buffy, a caça-vampiros' fez. Porque eu já vi muitos filmes na vida, o que me faz uma das pouca cineasta formadas que também é cinéfilo... Acredite, é algo raro. Geralmente um cineasta não vê tantos filmes como deveria e por mais que um cinéfilo entenda de filme, ele não é um cineasta. Alias, está ai uma das coisas que me chamou atenção para o trabalho de Joss Whedon anos atrás, ele também é cinéfilo de carteirinha. (Fã de 'Star Wars', séries de TV, quadrinhos...)

Foi a quase 15 anos, no dia 10 de maio de 1997, que vi o piloto de 'Buffy, a caça-vampiros'. Mesmo que o fator vampiro fosse um dos motivos para ver a série, foi por causa de um ator inglês, desconhecido na época (o qual conheci em 'VR.5'), Anthony Head de 'Merlin', que resolvi dar um crédito para série. Isso porque já tinha visto um filme trash, de mesmo nome. (Trash trata-se de um filme com poucos recursos, não necessariamente um filme ruim. Muitas vezes até tem roteiros interessantes - como era o caso de 'Buffy, a caça-vampiros' - mas a falta de grana na produção acaba atrapalhando.)

Na primeira temporada da série de sua caçadora, Joss se preocupou em criar boas histórias (limitando gastos com os efeitos especiais e digitais). A série que teve meia temporada e podia ter ficado como um tapa buraco de fim de temporada, foi renovada por conta da qualidade dos roteiros e com uma segunda temporada, Buffy ganhou o mundo.

Foi graças ao talento de roteirista de Joss que Buffy deixou de ser uma mera heroína estereotipada e ganhou uma personalidade marcante, assim como suas personagens femininas em geral. Porque além de desenvolver bem personagens masculinos, Joss tem o mesmo empenho com as femininas, dando personalidades bem costruidas, muitas vezes um senso de humor refinado e até um lado negro sempre pronto a aparecer. O diretor e roteirista gosta de mostrar que antes de qualquer coisa, ninguém é perfeito. Nem mesmo os heróis. A perfeição é uma ilusão, pois na verdade é como lidados com nossos defeitos, que nos faz melhores ou piores.

Para minha surpresa, foi com a mesma ideia em mente que Joss Whedon escreveu o roteiro de seu arrasa quarteirão, Os Vingadores. A Viúva Negra (Scarlett Johansson), por exemplo, deixou de ser apenas um rostinho bonito que sabe brigar, como a maioria das heroínas que vemos não só nos filmes de ação, mas em boa parte dos quadrinhos. Nas mãos de Joss, ela ganhou uma alma e até um senso de humor (no melhor estilo Faith, a outra caçadora de Joss Whedon). A personagem que já tinha aparecido em 'Homem de Ferro 2', rouba a cena até do Stark em dados momentos do filme.

Outro que também conseguiu sua alma (FINALMENTE) foi Bruce Banner, que mesmo que tenha sido muito bem interpretado por Edward Norton, no filme 'O Incrível Hulk', era uma dúvida em 'Os Vingadores', já que o ator foi substituído por Mark Ruffalo. O Hulk dos quadrinhos eu realmente não tenho o que dizer, não conheço muito (sou fã da série de TV), mas gostei do Edward Norton no papel, pois resgataram o Bruce Banner da série. Pois bem, Joss conseguiu mesclar o melhor de ambos os Hulks, o dos quadrinhos e o da série, criando um Bruce Banner incrível, com uma dose de Doutor Jekyll e Senhor Hyde (O Médico e o Monstro), que conseguiu fazer bonito, sem deixar a desejar aos outros heróis.


Falando nos outros, Stark (Robert Downey Jr.) continua a humildade em pessoa e também a melhor das más influências. A interação dele com Banner é ótima, mas Stark com o Capitão América (Chris Evans) me surpreendeu. Stark e América tem cenas ótimas juntos e se já tinha me simpatizado com o super soldado no filme que leva seu novo, em 'Os Vingadores' ele ficou ainda melhor, com o toque de Joss em sua personalidade. Também gostei do Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), o qual ainda não conhecia, nem de quadrinho. E como no filme do Thor ele faz uma participação mínima, foi uma ótima novidade. Gavião Arqueiro tem momentos bem legais no filme, especialmente envolvendo seu talento natural, o de conseguir ser exibido tanto quanto o Stark.

Outra dupla que chama muita atenção em 'Os Vingadores' são os irmãos deuses super poderosos, Thor e Loki. Os dois deuses são o perfeito exemplo do relacionamento de irmãos, criados por um pai que tem preferência por um dos filhos. (Se os pais tivessem ideia do que isso pode causar a cabeça de uma criança... Depois se o filho crescer revoltado e querer destruir o mundo só de birra, não vão reclamar.) E se tratando da dupla de deuses, o problema é conseguir apartar a briga, pois quando eles resolvem discutir os problemas familiares, ninguém segura. (Sabe como é briga de irmãos? Então imagina uma com dois irmãos que possuem super poderes.)

Em 'Os Vingadores' efeitos especiais, com a ajuda da tecnologia digital não faltaram, o filme é uma montanha-russa maravilhosa. Porém, a verdade é que sem o maravilhoso roteiro escrito por Joss Whedon, o filme seria como tantos outros por ai. Só outro filme de heróis. No entanto, Joss enriqueceu o roteiro com tiradas espetaculares e momentos memoráveis inacreditáveis, deliciando público e fãs.


A DC que se cuide, porque a Marvel resolveu investir mais nos roteiros de seus filmes, depois dos últimos roteiros decepcionantes de X-Men. Não estou falando que os filmes dos X-Men são ruins, só que deixam a desejar para quem conhece e é fã dos quadrinhos dos mutantes Marvel. Já 'Os Vingadores', é um filme que faz você querer saber mais sobre a história dos heróis e dos vilões. (Ainda mais gamada pelo Lokinho!) Vai querer ler os quadrinhos, ver os filmes... Um detalhe interessante, o filme pode ser visto por quem não viu os filmes 'Thor', 'O Incrível Hulk', 'Capitão América' e os dois com o Homem de Ferrro. Assim como pode ver os filmes na ordem que desejar. No entanto, quando você termina de ver todos os filmes, consegue ver sutis ligações de um com o outro, por conta de pequenos detalhes nos roteiros. Inclusive no filme de 'Os Vingadores'. Achei isso brilhante! (Aproveitando, tem coisa após os créditos principais do fim, não saia da sala de cinema quando as luzes forem acesas.)

Eu não quero spoiliar o filme, mas acho que é válido dizer que o foco do primeiro filme de 'Os Vingadores' são os dois deuses de Asgard, Thor e Loki, suas pendências familiares novamente são discutidas aqui na Terra e quem ficar no caminho dos irmãos, pode não sobreviver para contar a história. Graças a Loki, a S.H.I.E.L.D. precisa enfrentar uma guerra... Reunir um grupo de heróis que não parecem gostar muito da ideia de trabalhar em equipe, projeto chamado Iniciativa Vingadores, chefiado por Nick Fury. Alias, Samuel L. Jackson novamente mandando muito em papel secundário. É impossível não gostar do ator, que consegue chamar atenção com seu Nick Fury, mesmo não fazendo parte do elenco protagonista da história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário