quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Conto III

É um conto de vampiros, feito por Adriano Siqueira para o Dia das Crianças, mas tendo o Natal como assunto principal, incluímos na nossa seleção de contos natalinos.



Nem todo mundo tem a possibilidade de escolher presentes.
As crianças que têm famílias com baixa renda dependem da generosidade das comunidades para receber presentes no Natal e nem sempre é o que eles gostariam de ganhar.

Foi o caso da menina Berenice, que ganhou um kit completo para brincar na praia. Muitas forminhas de plástico como estrela, lua, tartaruga, para fazer formas na areia, pazinha, colher de plástico, baldinho e tudo mais que ela iria adorar, se morasse na praia. Só que ela morava em uma periferia e só havia água e barro quando chovia muito. Certamente, a sua mãe jamais aprovaria que Berenice brincasse com seu kit por lá, pois as doenças eram muitas e ela sabia que seu brinquedo jamais seria usado.

Ela mostrou seu brinquedo para a sua amiga Rosângela e juntas tiveram uma idéia genial.

— Que acha de ir à casa daquele senhor que mudou para cá há pouco tempo? Ele está fazendo reforma no sobrado e tem muita areia lá. Acho que não tem nada demais pedir um pouco para a gente brincar.

— Ótima idéia!

— Então está bem. Vamos lá à noite, porque ele deve trabalhar de dia.

Quando a noite chega, as duas garotas correram para o sobrado grande e velho que ficava na esquina. O sobrado era mal pintado e o portão estava muito enferrujado.
Elas tocaram a campainha e ouviram uma risada macabra.

As duas ficaram com um pouco de medo, mas a vontade de estrear os novos brinquedos era muito forte.

O portão se abre sozinho e elas entram receosas. Logo que chegaram na sala, elas vêem pendurado na parede um quadro muito antigo de um homem jovem usando muitas medalhas.

Elas chegam mais perto do quadro e escutam o portão se fechar sozinho. Seus olhos desviam para o portão e voltam rapidamente a olhar para o quadro. Só que agora havia, na frente delas, um senhor aparentando uns 70 anos. Elas dão um passo para trás e logo ele diz:

— Não precisam se assustar.

— É que o senhor apareceu muito rápido.

— Não é sempre que tenho visitas. Que delícia! Em que posso ajudá-las?

Olhando uma para outra e respirando fundo, elas finalmente tomam coragem e falam.

— Sabe... É que estamos tendo dificuldades para aproveitar melhor o meu presente de Natal e eu achei que o senhor poderia nos ajudar.

O homem se afasta um pouco. E diz:

— Não diga isso novamente!

— Não dizer o quê? Sobre o meu presente?

— O que tem o presente?

— É um kit de praia e precisamos de areia.

— Oh...! Ah! Sim, claro! Acham que vou dar a minha areia para vocês? Pois saibam que não é uma areia normal, está misturada com a terra de onde vim. Para me proteger. Não posso me desfazer dela.

— Oh, senhor, por favor. Onde está o seu espírito natalino?

O homem protege-se rapidamente com os braços na frente do seu rosto.

— Disseram de novo! Saiam daqui ou irão conhecer a minha ira!

— Mas, senhor! Por favor, nesta época todos ajudam uns aos outros.

— Maldição! Saiam! Saiam agora da minha casa!

— Oh, por favor! Lembre-se do menino Jesus que nasceu nesta época. Tenho certeza que pensando nisso seu coração vai se abrir.

As duas meninas o abraçam e tentam mostrar o quanto precisavam da sua ajuda.

— Oh... Não! Não, por favor! Não façam isso! Saiam logo daqui!

As meninas estavam passando o espírito natalino para aquele vampiro e não paravam de falar. Sempre sorrindo e abraçando com muito afeto. Quando elas de repente sentem cheiro de algo queimando e logo em seguida sentem o corpo do vampiro ficar cada vez menor. Diminuindo, deixando a voz do vampiro como um sussurro.

— Não! Afastem-se!

O vampiro estava transformando-se em pó.

As meninas perceberam muito tarde. O corpo do vampiro já não existia mais. No lugar do seu corpo havia apenas um punhado de poeira.

As meninas olham uma para a cara da outra e, rapidamente. recolhem toda a poeira que outrora era um vampiro, e correm para casa para, finalmente, brincar com o presente de Berenice.

FIM



Adriano Siqueira é um contista de literatura fantástica de São Paulo, criador de um dos sites mais completos sobre vampiros e seres noturnos, o Adorável Noite. Além de escritor, também é colecionador e conhecido por sua vasta coleção sobre vampiros, HQs e ficção científica.
Para saber mais sobre Adriano Siqueira, entre no twitter do autor:
http://twitter.com/adrianosiqueira
Ou visite as páginas do Adorável Noite e do Contos de Vampiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário