quinta-feira, 26 de maio de 2011

114 anos de Drácula

Hoje é dia de "apagar a velhinha"! Bom, se levar em conta quem é o aniversariante é apagar no sentindo fúnebre mesmo... Se bem que conhecendo a figura, ele vai preferir apagar uma mocinha. Ou talvez umas três? Sim, hoje é o dia que o autor irlandês Bram Stoker deu ao mundo seu tão adorado vampiro, o Conde Drácula.

Stoker já tinha outros livros publicados quando, em 26 de maio de 1897, lançou o livro intitulado Drácula, o qual o faria um dos escritores mais populares do mundo. Infelizmente, isso só aconteceu após a sua morte (que ocorreu em 1912), com o lançamento de Drácula nos cinemas, em 1931.

Drácula não é só um livro revolucionário em vários sentidos, escrito em forma de diários e cartas, mostra o ponto de vista de cada personagem de uma forma tão cúmplice, que o leitor sente que está lendo algo que foi tirado de um baú antigo de família. Também não podia ser diferente, foram seis anos de pesquisa, que começou em 1890 e foi encerrada em 1896 e a publicação da história no início do ano seguinte. Pesquisa essa que deixou coisas de lado (o suficiente para seu sobrinho-neto continuar a história mais de 100 anos depois da publicação do livro), mas fundamentais para o enriquecimento da trama e caracterização de cada personagem.

Stoker não tinha internet e muito menos o Google Map em sua época e teve que pesquisar em livros de viagens da biblioteca de Londres, sobre os lugares que não conhecia e por onde passaria Jonathan Harker, indo ao encontro do misteriosos Conde Drácula, que vivia em um castelo num lugar remoto da Europa, chamado Transilvânia.

O nome 'Drácula' mesmo, foi escolhido por conta dessa pesquisa detalhada do autor, em um livro que falava de uma pessoa real. O histórico Vlad III, príncipe da Valáquia, uma província da atual Romênia, situada ao norte do rio Danúbio e ao sul dos Cárpatos. Filho de Vlad Dracul, ficou conhecido como Dracula, que na língua romena significa filho do Dragão (Uma Ordem da qual o pai de Dracula fazia parte, a Ordem do Dragão).

Foi com a públicação de Drácula que os vampiros ganharam destaque na literatura, mas o que muitos não sabem, que não foi o livro e sim o filme que deu ao conde de Stoker o ar aristocrata que conhecemos hoje. Fazendo que o Conde Drácula ganhasse o mundo e os corações mortais, virando filmes, peças de teatro, séries de tv, quadrinhos e com inúmeras referências. O Drácula no livro é poderoso e temido, mas nem chega perto do charmoso e irresistível conde interpretado pelo ator húngaro Bela Lugosi, ao contrário, Drácula é assustador e cruel, fazendo jus a fama do livro de clássico de terror.

Drácula (1931)

Uma curiosidade é que a ideia do livro surgiu após um pesadelo que Stoker teve, no mínimo curioso, envolvendo três mulheres (vampiras), as quais foram incluídas no livro e viraram figuras associadas ao Conde Drácula.

Para saber mais sobre a obra, leia a resenha de Drácula no blog do programa Seleção Digital.

Um comentário:

  1. Adorei o post!!! Drácula é de um dos meus livros favoritos!!!
    E parabéns ao vampiro mais famoso e poderoso do mundo <3

    ResponderExcluir