quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O diretor de 'Poder Paranormal' fala do filme

O diretor e roteirista de 'Poder Paranormal', Rodrigo Cortés, comentou sobre a questão da ambivalência do filme, do certo e do incerto, ser um enigma. A ideia é que o público pise num terreno sólido e, de repente, o chão se abre sob seus pés.

'Poder Paranormal' é um roteiro de mistério, com personagens complexos e contraditórios, em busca de si mesmos, definidos por atos e omissões, palavras e silêncios.

"Nossas crenças são determinadas por nossas esperanças, necessidades, sonhos e desejos..."

O filme propõe uma abordagem rigorosa e científica de fenômenos paranormais, que quer mostrar como o cérebro humano é um instrumento de percepção da realidade e que em geral vemos o que queremos ver.

"Acreditamos no que queremos acreditar. Ciência e magia. Luz e sombras. Cara e coroa."

O roteiro é um claro confronto entre a magia e ciência, ocultismo e realidade, desmistificação esclarecedora. O filme junta os prazeres da magia e da paranormalidade com a dissecação psicológica, típica de certos filmes dos anos 1970.

"Não é um filme de investigação nem um típico filme de gênero; segue a lógica subterrânea dos romances de Richard Matheson."

Questionar e analítico, o filme não se passa à toa em salas de aula e laboratórios, nem é por acaso que os personagens são cientistas, racionalistas rigorosos em contra ponto aos videntes e parapsicólogos.

"Visualmente, buscamos o rigor, um tipo de elegância severa combinada com a qualidade do que é palpável, orgânico. Tentamos montar uma luz precisa, estética, crível e bastante física, com um planejamento rigoroso e cativante. O espectador precisa viver uma experiência cheia de intensidade emocional, percebendo a ameaça do desconhecido de maneira tangível."

'Poder Paranormal' é um filme que tem seus pés firmes no chão, estilizado, mas realista, cheio de contrastes em ascensão, mas com um toque de tangibilidade e de terror, de realidade e emoção.

"Há uma incerteza constante no que está acontecendo, sem importar se o que está se passando é extraordinário ou não, se corresponde a manifestações inexplicáveis ou não; argumentos poderiam ser feitos para sustentar ambas teorias. A dúvida é constante."

O espectador, sem perceber muito, adota a perspectiva analítica dos protagonistas, prestando atenção em tudo que acontece, sem poder concluir algo, tentando encontrar o mistério por trás de cada evento, as contradições internas, as notas dissonantes e incongruências.

"As luzes vermelhas..."


SOBRE O DIRETOR

RODRIGO CORTÉS é diretor, roteirista, produtor e editor. A paixão de Rodrigo Cortés pela direção começou bem cedo. Aos 16 anos, já havia filmado seu primeiro curta em super-8, 'El descomedido y espantoso caso del victimario de Salamanca', em breve seguido por 'Siete escenas de la vida de un insecto'. No início de 1998, filmou o videoclipe da música “Sick of you”, da banda Onion, para 'Abra os Olhos', de Alejandro Amenábar. Em julho de 1998, filmou 'Yul', um curta que arrecadou mais de vinte prêmios internacionais e, em 2001, 15 dias, o documentário cômico cult que se tornou o curta espanhol que mais ganhou prêmios na história da indústria local até a época.

Enquanto 15 dias fazia as aparições no circuito profissional, Cortés estava ocupado com várias criações diferentes que receberam numerosos prêmios de diferente festivais online, como o 'Notodofilmfest'.

Concursante, seu primeiro longa, é sobre os altos e baixos de um homem comum que vê o quanto seu destino toma um caminho brutal para a pior quando ele ganha o maior prêmio da história da televisão. O filme estreou com muito sucesso no Festival de Malaga em março de 2007, onde recebeu vários prêmios, incluindo Melhor Filme da Crítica Internacional.


'Enterrado Vivo', o muito aguardado segundo longa de Cortés, foi um enorme sucesso no Festival de Sundance de 2010. Com filas gigantes de seis horas e ingressos sendo vendidos por até 150 dólares, aplausos de pé em cada exibição e elogios unânimes dos críticos, 'Enterrado Vivo' se tornou uma das grandes surpresas do festival. Após apenas 11 horas dos aplausos de pé na estreia, seguidos por uma forte briga entre diferentes estúdios não vista em Sundance nos últimos anos, a Lionsgate adquiriu os direitos de distribuição na América do Norte, tornando 'Enterrado Vivo' a maior venda no festival dos últimos três anos. Na Espanha, o filme estreou com considerável sucesso e ganhou três Goyas (um de Melhor Montagem para o próprio Cortés) após receber 10 indicações, assim como vários outros prêmios nacionais e internacionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário