sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Edgar Allan Poe

Após 200 anos, comemorados no último ano (2009), o autor ainda mostra o quanto sua influência e inspiração toca gerações de escritores.

Edgar Allan Poe nasceu em Boston, Estados Unidos, no dia 19 de Janeiro de 1809. Teve dois irmãos e seus pais, David Poe e Elisabeth Arnold, faleceram pouco tempo depois do nascimento da filha caçula, Rosalie. Poe foi adotado por uma família rica, John Allan e Frances Keeling Allan e assim pode estudar em Londres. Era um jovem aventureiro, romântico, orgulhoso e idealista. Um boêmio que vivia no luxo, se entregando à bebida, ao jogo e às mulheres. Mais tarde, ingressou no exército dos Estados Unidos, onde permanece por dois anos. Quando a mãe adotiva falece, desliga-se da Academia Militar e corta relações com seu pai adotivo, devido ao casamento com outra mulher. Aos 22 anos, vivendo na miséria, publica 'Poemas'. Procura pelo irmão, Willian, e infelizmente assiste a morte dele. Poe passa a viver com uma tia muito pobre e viúva. Durante dois anos vive em miséria profunda , mas vence dois concursos de poesias, que abre portas. Em 1845, Poe lança 'O Corvo'. Já 'Eureka' e 'Romance Cosmogônico' lhe atribuem a fama necessária para provocar a censura da imprensa e da sociedade. Desiludido, entrega-se à bebida. Encontrado por um amigo em uma taverna em estado de profundo desespero, vai parar num hospital. Inconsciente e moribundo. Delirando, chama repetidamente por um misterioso "Reynolds", até morrer, aos 40 anos, em 7 de outubro de 1849. Até hoje não se sabe ao certo o que aconteceu. Teria o autor, sido vítima da loucura que em tanto narrou em seus contos? Muitos afirmam que tenha sido vítima de uma quadrilha que o envenenou, mas o mais certo é que tenha tido uma overdose de ópio.

Poe escreveu novelas, contos e poemas, exercendo larga influência em autores das gerações que se seguiram. Escreveu contos de horror e policiais. Os contos de horror apresentam invariavelmente personagens doentias, obsessivas, fascinadas pela morte, com vocação para o crime, dominadas por maldições e seres que oscilam entre a lucidez e a loucura. 'O Gato Preto' (assim como 'O Corvo') é um dos contos mais conhecidos dele, um dos raros que chegaram aqui pelo Brasil, onde muito pouco da obra dele foi traduzida... Até agora.

Fiquem de olho, que parece que Poe está conquistando espaço no Brasil e em breve mais de suas obras devem chegar as livrarias brasileiros. Assim como livros inspirados nelas.


Duas ótimas dicas, são os livros lançados em homenagem aos 200 anos de Poe.


POE 200 ANOS – Contos Inspirados em Edgar Allan Poe

Reunindo vários escritores com contos inspirados nas obras do autor, a proposta para essa antologia foi criar textos baseados em seus personagens, continuações de histórias de Poe ou mesmo usando o próprio romancista e contista como protagonista.

Organizado: Maurício Montenegro e Ademir Pascale
Prefácio: Miguel Carqueija
Editora: All Print




Contos obscuros de Edgar Allan Poe

Optando pelos contos menos conhecidos do escritor norte-americano, o organizador e escritor Braulio Tavares buscou se distanciar dos textos célebres, encontrados em publicações em todo o mundo.

Os 16 contos selecionados são verdadeiras raridades, como “Metzengerstein”, “Manuscrito encontrado em uma garrafa”, “Morella”, “O rei Peste”, “Sombra – Uma parábola”, “Silêncio – Uma fábula”, “Como escrever um artigo à moda Blackwood”, “Uma trapalhada”, “Descida no Maelström”, “Três domingos numa semana”, “A balela do balão”, “Um conto das montanhas Fragosas”, “O Anjo do Bizarro”, “Tu és o homem”, “A milésima segunda história de Sherazade” e “A esfinge”.

Organizado: Braulio Tavares
Ilustrador: Romero Cavalcanti
Editora: Casa da Palavra

Fontes:
http://universofantastico.wordpress.com
www.cranik.com

Um comentário:

  1. Adoro Poe!
    Quero ler esses livros em homenagem a ele, parecem ser muito bons.
    Ouvi dizer recentemente que hollywood planeja fazer um filme sobre ele também.


    Beijos

    ResponderExcluir