quarta-feira, 31 de outubro de 2012

'Halloween'

De acordo com a lenda, o Halloween é o dia em que o mal domina a terra e os humanos precisam se disfarçar com máscaras para não serem molestados pelos espíritos malignos.


Um dos primeiro registros do termo "Halloween", dizem, que surgiu em 1745 e o nome seria uma derivação do termo escocês "Allhallow-even", que traduzindo para o português seria "Véspera de Todos os Santos". Porém essa é apenas uma das várias hipótese em relação ao origem do Halloween, o qual não tem um registro oficial de quando e onde surgiu.

Há também a hipótese que a Igreja Católica buscou eliminar a festa pagã do Samhain, instituindo restrições na Véspera do Dia de Todos os Santos, para acabar com os festejos ligados aquelas celebração que eram vistas como rituais de bruxas pelos fanáticos religiosos da época. Em países de língua inglesa o dia ficou conhecido pelos cristãs como All Hallows' Eve, que significa "Vigília de Todos os Santos". Com o tempo o nome foi sendo alterado até chegar à palavra atual "Halloween". E foi essa designação da comemoração do Halloween que foi levada para os Estados Unidos pelos emigrantes irlandeses no século XIX e, posteriormente, chegou ao Brasil, a qual ficou conhecida como "Dia das Bruxas" por aqui.

Na verdade as lendas envolvendo a festa do Halloween, remontam às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre os anos 600 a.C. e 800 d.C., que os cristãs passaram a chamar de pagãs, os quais aos olhos da Igreja praticavam bruxaria que seria algo pecaminoso de acordo com o cristianismo.

O Halloween não tinha relação com "bruxas do mal", era apenas um festival do calendário celta da Irlanda, o festival de Samhain, celebrado entre 31 de outubro e 2 de novembro, o qual marcava o fim do verão (samhain significa literalmente "fim do verão"). Com o incentivo a perseguição religiosa aos não-cristão, que surgiu a ideia de data maligna e macabra.

A origem da data pagã, já tinha se mesclado com a cultura dos invasores das Ilhas Britânicas, os Romanos, que tomaram a região por volta de 46 a.C.; causando a união da cultura latina com a celta. Com as mudanças religiosas ocorridas no império romano e a mistura com a cultura Celtas, os chamados druídas foram desaparecendo, junto com suas tradições. (Afinal se tinha algo escrito, foi destruído pelo fanáticos religiosos que surgiram posteriormente com o império romano cristão.)



Há também quem diga que seria uma festa em homenagem aos ancestrais, que precedia os festejos de uma semana em comemoração do ano novo Celta. Chamada de "festa dos mortos" pelos Celtas, que não tinha a ideia de maligno, pois como os egípcios, os antigos druídas tinham em sua cultura respeito pelos ancestrais que já não viviam na Terra, os quais eram sempre lembrados nos festejos, pois estavam agora junto aos deuses e podiam ajudar aos vivos a se comunicar melhor com aqueles que adoravam. (Celebração semelhante a realizada pelos povos pré-colombianos das Américas no "Día de Muertos".)

Já na visão da Igreja, o dia no calendário cristão virou uma data maligna, quando um portal entre a Terra e o outro mundo se abria e ligava o mundo dos vivos ao dos mortos, que eram visto como seres "do mal". Além de tornar a festiva celebração uma ocasião triste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário