terça-feira, 23 de setembro de 2014

#DicaDeLivro - Drácula

NOTA: Desde Agosto passado (2014), que iniciou-se o resgate das antigas resenhas de livros do extinto programa de rádio, Seleção Digital (que iniciou com 'Hugo, o Vampiro - As Luzes na Idade das Trevas' de Gabriel Arruda Burani). Vale lembrar que só serão publicadas aqui, as resenhas de livros de conteúdo sobrenatural, que após lidas ao vivo também tiveram sua versão texto publicadas. Porém as outras ainda poderão ser lidas no blog do antigo programa da rádio Digital Rio.


A dica de livro de hoje é um clássico. Esse todo mundo já pelo menos ouviu falar. 'Drácula' do escritor Bram Stoker, que teve sua primeira edição (veja a capa original acima) chegando as livrarias em 1897.

Trata-se de um livro de terror e não se engane pelo filme de Coppola, que mesmo sendo um filme muito fiel a história, romantizou um pouco a trama. 'Drácula' fala de um cruel personagem, que só ganhou glamour graças a imortal atuação de Bela Lugosi, no primeiro filme oficial baseado no livro, de 1931.

O que muita gente não sabe, é que o vampiro do livro foi inspirado, em uma pessoa de carne e osso: Vlad, o Empalador. Um sanguinário príncipe da região da Valáquia, hoje Romênia. Dizem que o que chamou a atenção do escritor irlandês para a figura histórica de Vlad, provavelmente foi seu curioso sobrenome. Dracula, que em sua terra natal significa “filho do dragão”, sendo que dizem que o nome “Dracul”, dragão, teria também o significado de “demônio”.

No livro de Stoker não há referência direta ao príncipe da Valáquia, como é mostrado no filme de Coppola. O Conde Drácula mostra-se um mistério para o leitor, mas sendo igualmente cruel, quanto a figura histórica na qual foi inspirado. A ligação a Vlad só se soube, graças as anotações deixadas pelo autor. Que fez um curioso trabalho de pesquisa, enquanto escrevia o livro. (E foram tantas anotações que deram origem a uma nova história, escrita por um sobrinho neto do autor, 'Drácula - O Morto Vivo' de Dacre Stoker em parceria com Ian Holt, pesquisador e fã de Bram Stoker e Drácula).

Quem leu 'Drácula' na integra e com a divina tradução da L&M, pois existi versões variadas e até resumidas no Brasil, com toda certeza ainda se impressiona com as barbaridades descritas no Dimitri, o navio que leva Drácula para terras inglesas, detalhes do cárcere de Jonathan e também a obsessão do vampiro pelas amigas Mina e Lucy.

O livro é uma obra prima, com uma divisão clássica em 3 atos e história bem definida, não é a toa que até hoje, consegue seduzir pelas palavras cada nova geração. Sendo que toda história é narrada através de diários mantidos por Jonathan Harker, Mina e Dr. Seward. Além de cartas entre os personagens e o diário de bordo do Dimitri. Uma forma curiosa de narrativa, perfeita não só para colocar o leitor no centro dos acontecimentos, mas que dá a sensação realista de se estar lendo documentos reais e de que tudo aquilo relatado no livro aconteceu realmente.

Sobre o autor (DADOS ATUALIZADOS):


Dimitri Abraham Stoker, mais conhecido por Bram Stoker, nasceu em 8 de Novembro de 1847, em Clontarf, no subúrbio de Dublin, na Irlanda. Escreveu seu primeiro ensaio aos 16 anos e em 1863 entrou para a Trinity College, em Dublin. Em 1866 é contratado para trabalhar no castelo de Dublin e escreve o manual Deveres dos Amanuenses e Escrivães nas Audiências para Julgamento de Pequenas Causas e Delitos na Irlanda. E em 1875 recebeu seu mestrado.

Conseguiu se tornar crítico de teatro, sem remuneração, no jornal Dublin Eventing Mail. Se casou em 1878 com Florence Balcombe, aceita a oferta de trabalho para administrar o Royal Lyceum Theatre em Londres. Em 1882 Stoker publica 'Under the Sunset', uma coleção de contos.

Só em 1890, aos 43 anos, Stoker começa a escrever 'Drácula', sendo que leva 6 anos para concluí-lo. Em 1909 ainda publica uma história com tema vampiresco, chamada 'O Caixão da Mulher-Vampiro'.

Stoker faleceu em 1912 e mesmo sendo um escritor bastante conhecido na época, não era muito famoso, se comparado ao que é hoje por ter sido o autor de 'Drácula'. Tanto que morreu, antes de ver sua história ganhar o reconhecimento que devia, o qual só ocorreu a partir da primeira adaptação oficial para o cinema. E foi graças ao cinema, que Bram Stoker teve seu nome imortalizado.

'Drácula' ganhou várias adaptações, versões e aparições em histórias de outros autores, entre as mais conhecidas e fiéis estão os filmes 'Drácula - 1931' e 'Drácula de Bram Stoker'. Este ano, quando seu famoso livro completa 117 anos de publicado, o autor terá seu ficcional personagem, que da título ao livro, de volta aos cinemas. Em 'Drácula – A história nunca contada' (Dracula Untold) a proposta é reunir a história do Dracula história, a do conde vampiro de mesmo nome.

Sobre o novo filme, leia+: Nasce a Lenda
Sobre o personagem, leia+: Drácula

Outras dicas de livros, leia+: RESENHAS SOBRENATURAIS ANTIGAS
Leia também: HISTÓRIAS COM VAMPIROS

Publicação Original de 30 de março de 2010:
http://programaselecaodigital.blogspot.com.br/2010/03/bloco-literatura-digital-07.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário