quarta-feira, 13 de junho de 2012

Nas Sombras do Cinema com Barnabas Collins

Hoje o Contos Sobrenaturais da rádio Digital Rio, esteve presente na Cabine de Imprensa do filme 'Sombras da Noite' (Dark Shadows), do diretor Tim Burton, com Johnny Depp (que é um dos produtores) no papel principal do vampiro Barnabas Collins.


O filme 'Sombras da Noite' teve o roteiro inspirado numa série dos anos de 1960/70 de mesmo nome, a qual conta a saga da família Collins através dos séculos. Uma família com membros muito estranhos e atormentados, que seria ainda assim a história familiar de um grupo de pessoas, se entre os Collins palavras como bruxas, vampiros e seres sobrenaturais que assombram sua propriedade e seus descendentes, não fosse algo corriqueiro em suas vidas.

Em meio as histórias dos membros da estranha família, está a de Barnabas Collins e Angelique Bouchard. Um paixão que leva ambos a pagar um preço muito alto. Enquanto Barnabas descobre que mesmo com a atração que sente por Anquelique, ele não a ama, ela decide que se não pode ter o coração de seu amado, ninguém teria. Angelique busca na bruxaria uma forma de amaldiçoar Barnabas e o transforma num ser condenado as trevas, num vampiro.


'Sombras da Noite' é uma produção do cinema fantástico da mais alta qualidade e quando se tem um bom roteiro, somado a boa direção, outros aspectos do filme como por exemplo a fotografia é difícil de falhar dentro da proposta, por isso na maioria dos casos nem comento a respeito. No entanto, se tratando de Tim Burton, não há como não falar da fotografia de seus filmes, por ser uma característica marcante de sua direção.

Famoso por gostar de brincar com as cores, misturando ao seu estilo naturalmente gótico, cor fortes e vivas, Tim Burton optou pela fotografia clássica do gênero de terror em sua primeira produção vampiresca. Verdade que a escolha da década de 1970 para contar a história dos Collins, ajudou a quebrar um pouco o estilo sombrio que os filmes com tal tipo de fotografia possuem e também manter de certa forma a característica marcante do diretor. Porém não foi só o figurino que deu o toque de Tim Burton a fotografica, a escolha pelo tom carmim do sangue é algo que não passa despercebido, já que em filmes do tipo, que usam o estilo fotográfico em questão, nunca se usa sangue de tal cor.


O roteiro mescla ao drama familiar do Collins, referências aos clássicos vampirescos do cinema, uma dose de terror e momentos cômicos, do mais puro humor negro. Também há cenas memoráveis para os fãs de filmes de vampiros, como a presença de Christopher Lee e também de todo o elenco original da série de TV 'Dark Shadows'.

Claro que não poderia deixar de comentar que Johnny Depp ficou incrível na pele do atormentado Barnabas Collins, que sofre por sua maldição, lamentando pelo mal que provoca como um vampiro, mas nem por isso deixa de ir a fonte quando sente sede. O ator conseguiu dosar o lado sedutor e assustador de Barnabas, com uma pequena dose de inocência, ao se deparar com um mundo completamente novo, após ficar quase 200 anos confinado em seu caixão, que gera cenas das mais divertidas. Especialmente quando o vampiro tem que lidar com coisas que na época que ele era mortal, eram algo exclusiva dos homens.

A química de Johnny Depp e a atriz Eva Green, que interpreta Angelique, também é pefeita. A dupla arrebenata (literalmente).


Michelle Pfeiffer, como a Elizabeth Collins Stoddard e Helena Bonham Carter, na pele da doutora Julia Hoffman são uma atração a parte. Enquanto Michelle Pfeiffer não perde o dom de marcar suas personagens com beleza e charme, Helena Bonham Carter dá o toque cômico a sua doutora nada convencional.

O elenco todo foi uma ótima escolha para integrarem a família que de tão estranha, fascina aqueles que cruzam os portões de Collinwood, o que me faz torcer para que seja apenas o primeiro de uma série cinematográfica, pois os Collins possuem muitas histórias para contar e segredos a serem revelados. (E eu quero mais do Vamp-Deep!)

Para concluir, a trilha musical foi composta por Danny Elfman, que sempre está ao lado de Tim Burton em suas produções, mas a novidade é que nela foi incluida hits dos anos 1970, que ajuda a levar o público de volta a época.

Nenhum comentário:

Postar um comentário