quarta-feira, 14 de junho de 2017

Experiência de ver #AMúmia na sala @4DXglobal do @UCICinemas

Essa segunda crítica de 'A Múmia' é para falar em especial da experiência de ver o 1° filme do Dark Universe da Universal, na fantástica lançada sala 4DX do UCI New York City Center no Barra Shopping.

Localizada no Rio de Janeiro, RJ, é a primeira sala do tipo no Brasil (da rede UCI) e foi lançada oficialmente na quinta-feira passada (8). Porém contou com uma festa de lançamento na noite de quarta-feira (7), com coquetel, apresentação da sala para imprensa presente e exibição exclusiva para a crítica e convidados do lançamento sobrenatural da semana, 'A Múmia'.

Já avisando que se ainda não viu o filme e não gosta de SPOILERS, não leia o texto que segue (após o ALERTA SPOILER), porque essa crítica terá vários. Se for do Rio e já viu o filme, leia a crítica para ver o quanto vale rever na sala 4DX. Porém se é do Rio e não viu 'A Múmia' ainda, mas está curioso(a) para saber da sala, só que não quer estragar a experiência com SPOILERS, imagine reunir a experiência de todas as salas já existentes na cidade, com imagem em 3D e som de última geração, somado as cadeiras com movimento (tipo D-Box) e uma pitada de simulador de parque de diversão. (Também pode ler alguns detalhes AQUI, onde há somente informações técnicas da sala, e algumas fotos.)


ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER ALERTA SPOILER

'A Múmia' (The Mummy, 2017) da Universal Pictures veio para ressuscitar um universo inteiro de monstros, o Dark Universe, mais conhecido pelos filmes clássicos das décadas de 1930/40/50 como 'Drácula', 'A Múmia, 'Frankenstein', 'O Homem Invisível', 'O Lobisomen', 'O Monstro da Lagoa Negra', entre outros.

Nesse 1° filme conhecemos o ladrão de relíquias, Nick Morton (Tom Cruise) e seu amigo e parceiro no crime Chris Vail (Jake Johnson). Nick é um ladrão sem escrúpulos que na busca por artefatos raros, para negociar no mercado negro, se depara com a arqueóloga Jenny Halsey (Annabelle Wallis), da qual rouba informações que o levará a um grande achado arqueológico que ele só vê como um tesouro perdido com o qual pode faturar uma boa grana.

A trama que mescla ação e aventura com alguns momentos de terror, têm as sensações na sala 4DX intensificadas, dado aos efeitos físicos da novidade do UCI. Seja ao entrar na tumba da múmia e se deparar com seus mistérios ou fugindo desesperadamente dela e dos monstros despertados com a amaldiçoada princesa egípcia Ahmanet (Sofia Boutella); toda a ação é transportada da tela para movimentos na cadeia do espectador e efeitos físicos para lá de especiais dentro da sala de projeção.

Os espectadores vão sentir o que os personagens sente quase na íntegra. Da sensação de fugir em meio ao fogo cruzado até deslizando por uma superfície molhada e sentir resquícios da água em seu rosto. De se sentir lutando (ou apanhando) ao lado do larápio e cínico personagem interpretado por Tom Cruise, até sofrer um acidente junto dele.

A direção de Alex Kurtzman trabalhou as cenas de forma a funcionarem bem tanto para o 2D como para o 3D, além de momentos que serão inesquecíveis se vividos dentro da sala 4DX.

O som também é uma atração na sala, já que alguns efeitos são diretamente ligados a trilha sonora e torna tudo ainda mais tenso. Especialmente quando o som está associado a cenas envolvendo os poderes da múmia de usar o vento para causar o caos.

Mesmo que o roteiro escrito por David Koepp, Christopher McQuarrie e Dylan Kussman, com história do diretor junto com Jon Spaihts e Jenny Lumet, tenha certas questões a trabalhar, as quais se espera resolver nos próximos filmes, a história consegue entregar um bom entretenimento, especialmente aos fãs das velhas histórias do Dark Universe da Universal. Que além de serem apresentados ao ladrão Nick, que é um dos poucos personagens de Tom Cruise a fugir do estereótipo do bom moço e entra para a restrita lista do ator de vilões/antiheróis onde temos seu inesquecível vampiro Lestat de 'Entrevista com o Vampiro'; também conhecem o misterioso Dr. Henry Jekyll, interpretado por Russel Crowe, que está muito bem no papel. Ele consegue dar sacode em Nick, e no público por tabela, quando revela seu outro lado.

Uma coisa importante sobre a nova sala do UCI NYCC é que se vai assistir 'A Múmia' na sala 4DX e ainda não viu o filme, caso não seja fluente em inglês e/ou não consiga ler as legendas com rapidez, a melhor opção é ver o filme dublado. Assim não perde nada importante por causa de legenda. Especialmente porque há easter eggs bem legais, além de um objeto pertente a produção estrelada por Brendan Fraser, que deixa bem claro que o filme é uma continuação. Não sendo um reboot, tão pouco um remake. Isso porque a organização do personagem de Russel Crowe, a Prodigium, está com nada mais, nada mesmo, que o Livro dos Mortos apresentado no primeiro filme trilogia estrelada pelo ator, que inicia com 'A Múmia' de 1999 que é o remake oficial de 'A Múmia' de 1932.

'A Múmia', em cartaz no Brasil desde o dia 8 de junho, é um filme recomendado não só para os fãs do Dark Universe, mas para os fãs dos atores Tom Cruise e Russel Crowe, além dos apreciadores de filmes que mesclada ação a outros gêneros, com o objetivo de puro entretenimento. Com distribuição da Universal Pictures o filme chega na sala 4DX do UCI tanto com cópias legendadas como dubladas em português, na versão 3D.

Vale dizer que a sala 4DX promete se tornar uma atração para quem mora na cidade e proximidades, assim como para os que estiverem visitando o Rio.

Leia+: #CinemaSobrenatural
Leia também: CONTOS SOBRENATURAIS NA CABINE

Texto: Anny Lucard
Fotos: Anny Lucard Cel

Nenhum comentário:

Postar um comentário